quinta-feira, 25 de abril de 2013

Guest post - Relato de amamentação

Já que eu entrei numa série de amamentação nos ultimos post (para ler aqui, ou aqui, vou continuar nesse assunto. Os ultimos posts foram muito visitados e isso é excelente, sinal de que esse tipo de informação interessa e está circulando. Hoje vou dar uma de escrevalolaescreva e fazer um guest post. O nome cai bem pois Raquel Labotka mora nos EUA e é mãe de um casal. O que vem a seguir foi o comentário deixado em minha página do facebook que creio que deve ser ampliado aqui pra ter um alcance maior e que seja realmente compartilhada mais uma experiência de AMAmentação. Um ótimo relato de uma mãe que lutou pelo que queria, AMAmentar, em um país que muitas vezes é recomendado usar capa para tampar o seio que alimenta o bebê, Raquel vai contra a corrente das fórmulas na sua segunda experiência materna.


"Sei bem o que tu passou. Quando a Allison(primeira filha) nasceu eu nao fazia ideia o quanto amamentar seria difícil. Também quando tu sai do hospital aqui eles te mandam para casa com um kit, com fórmula grátis, o que impede muitas mães cansadas de amamentar e ninguém diz que uma só mamadeira vai afetar o teu leite e afetar o bebê de aprender a mamar direito. Meus primeiros dias depois que sai do hospital com a Allison foram cansativos... eu chorava de dor e o hospital tinha me dado um bico de silicone para colocar no meu peito para ajudar a Allison a pegar o peito direito... ninguém me disse que isso deveria ser usado exporadicamente porque impede a mulher de produzir leite suficiente. Allison comecou a tomar mamadeiras com fórmula, mesmo eu ainda amamentando, mas aos 6 meses de idade ela comecou a recusar o peito em preferência a mamadeira e foi quando fizemos a troca de vez. Chorei muito porque queria pelo menos levar até o 1 aninho, mas não deu... tivemos muitos percalços e nenhuma orientação boa. O marketing da fórmula ganha, mesmo em hospitais que se dizem amigos da amamentação.. todos levam fórmula para casa. 

Quando fiquei grávida do Jonathan, resolvi ler tudo o que podia sobre amamentação e me preparar porque sabia que amamentação é algo que precisa ser trabalhado com o bebê e que os primeiros 2 meses sao difíceis. É a vantagem de não ser mais mãe de primeira viagem. Jonathan nasceu com uma febre (eu culpo a ocitocina que me deram para comecar as contrações e fazer o trabalho de parto mais rápido... intervenções desnecessárias, mas minha bolsa já tinha estourado e aqui eles dizem que tem 16 horas para tirar o bebê para não ter risco de infecção ou outras complicações) e levou 2 horas para que eles me descem ele para amamentar. Para minha surpresa, porem, ele ,mamou direitinho! Os nossos problemas começaram no dia seguinte quando ele comecou a ter icterícia severa e teve que ir para o berçário ficar debaixo das luzes. Eles me impediam de ir amamentá-lo em menos de 3 horas e só podia amamentar por 30 minutos e entre uma mamada e outra eles estavam dando fórmula sem me consultar! Falaram que fórmula ia limpar o sistema dele mais rápido já que fórmula não se digere tanto quanto leite materno gerando mais cocô. Quando descobri, porque um recém-nascido geralmente mama a cada 1.5-2 horas fiz um escândalo. Falei com a consultora lactante do hospital e ela ficou furiosa também e resolveu me ajudar. Ele saiu daquele hospital 5 dias depois, mas depois de passar o final de semana em casa tivemos que interná-lo, pois a icterícia tinha aumentado novamente. Aí fui para o hospital da pediatra dele (hospital em que a Allison nasceu. Dei a luz num hospital diferente, porque era o hospital mais perto de casa, mas se arrependimento matasse...). Lá fomos atendidos melhor e eu estava amamentando ele cada vez que ele queria e não tinha limite de tempo. Ele só ficou lá 2 dias e viemos para casa.
Por conta das mamadeiras que ele teve no primeiro hospital ele desaprendeu a mamar direito. Ele so pegava o bico e me machucava. Comprei uma bombinha de tirar leite dupla e elétrica e comecei a tirar o leite e dar para ele de seringa depois de cada tentative de mamada. Depois de uma semana ele ja tinha aprendido a mamar de novo. Depois desse percalco algumas semanas depois ele foi diagnosticado com refluxo e chorava dia e noite. Foi colocado numa medicação que não ajeitou muito porque a médica deu uma dose muito menor. Fomos num gastro e ele receitou outro remédio que era forte demais e Jonathan acabou piorando. Voltamos para o primeiro remédio, mas com uma dose maior e ele melhorou, mas ainda não estava perfeito. Foi quando descobrimos que ele era sensível ao leite de vaca da minha dieta e seus intestinos estavam inflamados por causa disso. Fui orientada a parar de amamentar. Pesquisei um monte e descobri que eu poderia continuar amamentando, mas teria que eliminar completamente todos os produtos derivados do leite da minha dieta e que levaria 4 semanas para limpar o sistema do Jonathan. Parei de amamentar por 4 dias, antes dessa pesquisa, mas como queria voltar a amamentar eu tirava o leite com a bombinha elétrica a cada 2-3 horas dia e noite e acabei doando o meu leite para uma mãe que precisava. Jonathan tomou fórmula especial por 4 dias… uma fórmula com cheiro horrível de vômito e apesar dele tomar, porque tava com fome ele só tomava o suficiente para não morrer de fome. Voltei a amamentar depois de 4 dias e ele estava tão feliz com o meu leite. Não consigo explicar a felicidade que nós dois sentimos… o nosso vínculo estava ainda mais forte depois de todas as coisas que passamos e lutamos pela amamentação.
Fui diagnosticada a uns 2 meses com problemas de tiróide e queriam que eu parasse de amamentar para fazer um exame que faz tu tomar algo radioativo para poder encontar o que estava mal com a minha tiróide. Fui em outra médica e ela disse que eu poderia fazer só uma ultrasonografia e exame de sangue e não precisaria parar de amamentar. Tenho Tiroidite de Hashimoto (hipotiroidismo crônico) que após o parto resolveu sair do estado dormente e atacar minha tiróide me fazendo ir para uma fase de hipertiroidismo. Estou a espera do hipertiroidismo virar hipotiroidismo e estou sendo acompanhada por minha médica endócrina todo mês, porém não preciso parar de amamentar e isso é um alívio. 
Jonathan nunca mais teve um pingo de fórmula… ele esta crescendo normalmente e a pediatra dele esta muito feliz que apesar de tudo ainda estou amamentando. Ninguém achou que eu poderia viver sem produtos derivados do leite de vaca, mas aqui estou eu… ja faz 5 meses desde que tive que modificar minha dieta. 
Eu creio que os problemas do meu filho com leite de vaca aconteceram pq nos seus primeiros dias de vida ele recebeu fórmula feita com leite de vaca. Um recém-nascido não tem flora intestinal capaz de proteger seus intestinos contra alergenicos como o leite. O leite materno é o que dá essa flora para o bebê. Alguns bebês toleram fórmula melhor do que outros. De acordo com o gastro do Jonathan ele vai poder tomar leite de vaca após o 1 aninho de idade, mas veremos.
Jonathan esta com quase 7 meses e ainda mamando e sem fim na vista. Estou relatando essa minha experiência para mostrar as mamães que vocês tem que ser suas próprias advogadas e sair a procura de informacoes. Vocês tem que lutar pelo direito a amamentação. O vínculo entre você e seu bebê só vai aumentar. O seu bebê agradece!"




sábado, 20 de abril de 2013

Relato de amamentação parte #2 Manual da pega


Como eu já relatei no post anterior a amamentação não é só bebê perto do peito e tudo ok! As vezes até pode ser, mas não é 100% garantido que será assim com você, e se não for tudo bem, não há porque desesperar. Podem existir vários problemas ou nenhum, conforme disse inicialmente tive 3 problemas e apresento as soluções para eles. 
Pena não ter sabido antes de ficar com a mastite. Atenção, se tiver febre e tiver com a mama cheia demais e dolorida pode ser sim mastite, procure um banco de leite humano, o atendimento é ótimo, gratuito e quanto antes buscra ajuda melhor. Também existem consultoras de amamentação que podem dar a orientação e os cuidados adequados a cada caso. Eu fui ao banco de leite referência, que fica no Instituto Fernandes Figueira da FioCruz, divulgo mesmo, pois a causa é nobre e o pessoal lá é muito competente e humano, só tomei antibiótico porque era realmente necessário e isso não impediu a amamentação. Dou o serviço direitinho no final dessa postagem. E falo sobre medicamentos e amamentação em um próximo post pra não acumular muita informação.

Então vamos as simples soluções:

“Não sabia a diferença entre a sucção que mama e a sucção pra se acalmar e se confortar, que alguns chamam de chupetar (não uso esse termo porque o bebê não faz o peito de chupeta e sim a chupeta de peito, e se querem saber minha opinião sou contra chupeta um dia desses digo os meus motivos num post).”

Muitos bebês usam o peito para obter conforto e segurança através da sucção, porém existe uma sucção em que não está sugando leite. A produção de leite é estimulada quando o mamilo é estimulado e se produz e não é consumido vai se acumulando o que pode dar problema.
Alguns bebês fazem isso por pega errada ou por preguiça, porque mamar exige um certo esforço, tanto que alguns bebês transpiram muito durante a mamada. Outros porque começam a dormir e perdem a força da sucção. Se o problema não for a pega errada a solução é muito simples. Com a ponta do dedo indicador toque a bochecha do bebê e faça um movimento circular, pra frente ou pra trás, a intenção é cutucar o pequeno trazendo ele de volta ao foco, ou seja, a mamada.

Meu outro problema foi:

“Meu bebê dormia 8h a noite e eu achava ótimo porque dormia também e portanto não o acordava”

Voce está lendo e provavelmente pensando: como assim um recém nascido dorme 8h seguidas? Pois o meu dormia. E você deve estar pensando, que maravilha de bebê não é um problema, isso é maravilhoso. Só que não. O contato e o vínculo entre mãe e bebê é necessário nos primeiros dias de vida e a natureza sábia programou os bebês pra mamarem toda hora ou a cada 3h para que esse laços sejam bem estabelecidos. O peito precisa esvaziar pra produzir mais, principalmente nos primeiros dias onde tudo é novo e está sendo ajustado. Se o bebê dorme demais nos primeiros dias, e você tem pena de acordar, tenha pena de si mesma, pois seu corpo pode entender o acumulo de leite como um corpo estranho e isso vira uma bela mastite. Dói é incomodo e dependendo do grau pode demorar a melhorar totalmente, então é melhor acordar o filhote.
Quanto mais vezes mamar, mais rápido vai entender como funciona e com isso diminui o risco de ter o peito machucado ferido ou rachado, como eu tive. Amamentar NÃO PODE DOER, se dói algo está errado. E eu não sabia disso e como estava com machucados sentia muuuuita dor a cada mamada e resistia bravamente, porque sou tinhosa, mas as vezes até uma lagriminha escapava, foi tenso esse período, e tudo por quê?

“A boca é muito pequena em relação a aréola (parte escura do seio)” e esqueci de dizer no outro post que meu bico era plano.



E como resolver isso?
Ajudando o bebê a por o máximo de aréola dentro da boquinha. Eu via as pessoas fazerem isso, mas não me liguei que era pra eu fazer sempre, que eu deveria ajudar o bebê, pois achava que o bebê se desenrolava sozinho. Só que não. O bico é o de menos, ele vai se formando, acreditem, meu filho tem 1 ano e mama tranquilamente no bico que ele mesmo fez. Evitem a todo custo usar conchas ou bicos de silicone, além de não ser bom pro bebê, se a higiene não for muito bem feita se tudo não for muito bem fervido você pode ganhar um fungo de presente e um longo tratamento, com remédios via oral. Nesse período pode sentir pontadas nada agradáveis em decorrência do fungo, mais uma experiência própria, usei concha 2x, o bastante pra ganhar um fungo e ficar 4 meses tomando remédio 1x por semana. Esse remédio não impede a amamentação e não atrapalha em nada na produção de leite.

Então, só resta explicar a famigerada pega pra quem tem e quem não tem bico formado.
O grande truque é muito simples e ninguém me falou nos primeiros dias, você precisa pegar a aréola do mamilo (a parte escura) e enfiar na boca do bebê o máximo que der. Como?
O ideal é você fazer um 'C' com a mão e colocar o polegar e o indicador ao lado da "divisa" da parte escura, mas já do lado de fora, na pele “normal” e unir o polegar ao indicador. Pode espirrar leite, normal e sinal de que ele tá ali pra ser consumido, assim ajuda a ter um biquinho, o calor da boquinha com a sugada vai formando seu bico e o bebê vai conseguir mamar bem.


Nunca esquecer de ficarem barriga com barriga! Achei um videozinho, se não tiver bico não vai ser igual porque o da mulher do vídeo já está bem formado, mas o esquema é o mesmo.

 
https://www.youtube.com/watch?v=8a5vH3tt6xM



Beba muita água e durma com o bebê sempre que der, estar descansada ajuda muito, depois com a prática vem as inúmeras posições de mamada, o mama sutra.





Serviço IFF
http://www.iff.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?tpl=home
Instituto Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz). Av. Rui Barbosa, 716 - Flamengo, Rio de Janeiro - RJ. Tel: (21) 2554-1700.

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Curiosidades francesas o outro lado do diário do olivier


Olivier Teboul tá na moda, ele é um jovem francês que escreveu 65 observações feitas por ele sobre o Brasil, obviamente despretenciosamente. Ele vive em BH, minas e está lá há pouco mais de um ano pelo que parece, seu post que você pode ler aqui, gerou muita discussão e polêmica. Pessoas leves riram, pessoas que levam tudo a ferro e fogo se sentiram muitas vezes ofendidas. Não tô aqui pra julgar nada, mas creio que a intenção de tal rapaz não era essa. E muito menos ele tinha noção da proporção que sua postagem ia ter, na hora me deu vontade de fazer uma versão brasileira sobre minha visão da frança. Já vou adiantando que a França embora territorialmente menor que o Brasil é muito grande e tem muitas especificidades, falo logo antes que venham me acusar de qualquer coisa, é só a MINHA opinião nada isenta porque somos seres etnocentricos! Para uma análise leve o tempo de permanência no país não pode ser muito grande porque a visão vai mudando... Vivi um semestre de intercâmbio em Paris e sou casada com um francês então algumas coisas acabaram se naturalizando pra mim, mas fica aí mais um registro originado pelo Teboul.


Na frança...
...se fazem os mais variados pães e queijos mas não existe pão de queijo
...se produz muita uva somente para vinho, não existe refrigerante de uva, tipo fanta uva
...metro na hora do rush lota, mas mesmo no aperto e em pé a maioria das pessoas leem
...andouillete é o prato mais fedido do mundo e ninguém sabe o que tem dentro e quem sabe não te conta o que tem
...o metro parisiense em algumas linhas parece um trem da central com direito a pedintes exigentes que so aceitam moedas acima de 1 eurinho

...se come galinha dangola, chamam ela de pintada
...camisinha pode ser chamada de durex (marca) e a fita adesiva é conhecida como scott, tem  quase um verbo para colocar fita adesiva, o scotter

...na saida da escola você pode ver mães colocando quadradinhos de chocolate no pão, juro q fica bom por mais estraho que pareça a nós
...existem correspondencias de linhas de metro, umas conexões, que dão impressao que vc nunca chegará, ou vai chegar ao centro da terra
...você pode alugar bicicletas por toda paris 24h, não só na zona sul, como é aqui no rio
...pic nics e tomar sol no gramado de qualquer pracinha são comuns quando se tem sol, coisa que não é muito comum
...é normal fazer 4 estaçoes em um dia
...a maior parte dos prédios em paris não ultrapassa 7 andares. Sendo que grande parte não possui elevador ou possui uma especie de caixão que transporta vivos na vertical

...você é escorraçado de muitos bares quando da a hora de fechar, há uma lei que impede bares e pubs de ficarem abertos a madruga toda e incide sobre o infrator multa pesada, portanto o cara parece preferir perder o cliente a pagar a tal multa
...não da pra pedir nenhuma informaçao sem antes dizer: Bom dia. Por favor, eu gostaria... Mesmo que seja 10 da noite

...comprar fio dental dá trabalho, pois é difícil de achar
...comprar leite condensado açucarado também é dificil, lá existe a versão leite condensado que não significa que tenha açúcar, aqui no Brasil  todos tem, ou são versões diet/ligth lá tem lait concentré e lait concentré sucré um brigadeiro com a primeira versão não funciona
...ainda que a reputação dos perfumes seja a melhor, um metro lotado não cheira a chanel 5. Muito pelo contrário

...sabonete do banho é líquido e sabonete de mãos é em barra
...quado você entra no banco não tá geladinho, dependendo da época mais provável estar gelado do lado de fora
...mercados não fornecem sacolas gratuitamente. Mas em compensaçao pode comprar somente algumas folhas de alface e folhas sortidas em um pacotinho fechado, perfeito pra quem mora só

...líquidos são medidos em cl e não em ml
...medidas de receitas são dadas em kilos gramas e cl nunca em copos, xícaras e colheres
...o podrão que aqui é cachorro quente ou hamburguer é substituido pelos kebabs um composto de carne de sei lá o que rodando num espeto
...o governo é uma mãe, pode se chegar aos 40 sem nunca trabalhar e viver de auxílios, e aqui tem gente que reclama do bolsa família
...banho após o banho de mar é uma redundância.


segunda-feira, 15 de abril de 2013

amamentação - amor em forma de leite

Eu e meu bebê. Foto: Nicolas Chaignet

Há muito tempo que eu queria escrever e publicar algo sobre amamentação, mas sempre fico sem saber por onde começar. É um dos meus assuntos preferidos e pela minha experiência pessoal (lê-se problemas), me sinto hoje uma expert no assunto. E sinto um enorme prazer em ajudar as recém-mamães a superar as barreiras culturais, psicológicas e até mesmo fisiológicas para que possam nutrir o seu bebê da maneira mais completa, não só nutrir no aspecto de componentes nutricionais do leite materno que obviamente são superiores a qualquer outra invenção, mas por nutrir o espírito e o coração, pois amamentar é também uma questão de afeto, de vínculo com seu bebê.
Fico triste em ver o desencentivo a amamentação e a falta de informação, ver que momentos maravilhosos de troca entre mãe e bebê pela amamentação são furtados por ideias cômodas, por processos desnecessários e algumas vezes por falta de força de vontade.
Eu não sabia por onde começar, mas acho que o melhor modo de falar sobre esse assunto é falando sobre a minha experiência que tinha tudo pra dar em muitas mamadeiras, mas não.
Meu bebê foi alimentado até os 6 meses com leite materno e hoje com 1 ano ainda mama mesmo já comendo de tudo, porque como eu disse antes me interessa nutri-lo para além dos sais minerais. Portanto resolvi escrever esse relato que pode ser também um Manual de amamentação.
Como já relatei aqui, meu filho nasceu em casa no dia primeiro de março de 2012, na primeira hora do dia ele saiu de mim, cuspiu uma gosminha e foi colocado sobre meu ventre, e aí vem algo inacreditável. Aquele minúsculo bebê que acabara de nascer já conseguia se rastejar em direção ao meu peito, com a boca aberta parecia me “bicar” o corpo como um pica-pau, ele estava a procura da sua fonte de anticorpos, sua primeira vacina: o colostro.
O colostro é o primeiro leite, muitos não chamam de leite, eu chamo, mas ele não é branco e é riquíssimo em tudo que é realmente necessário pro bebê que acabou de nascer, porque sim, a natureza é perfeita e nem a Nestlé, nem a Danone com anos de pesquisa vão reproduzir o que a natureza faz há 5mil anos.
Nesses primeiros minutos ele foi lá mamar, e eu mãe de parto domiciliar planejado, acreditando no poder da natureza e do instinto, achei que tudo se encaminharia bem, bastava eu colocar o peito ao alcance do bebê e que tudo estaria resolvido, porque ele sabia o que fazer. Sim, ele sabe o que fazer, mas... pois é tem um mas no meio do caminho. Na verdade 3:
1.A boca é muito pequena em relação a aréola (parte escura do seio)
2.Meu bebê dormia 8h a noite e eu achava ótimo porque dormia também e portanto não o acordava
3.Não sabia a diferença entre a sucção que mama e a sucção pra se acalmar e se confortar, que alguns chamam de chupetar (não uso esse termo porque o bebê não faz o peito de chupeta, e sim a chupeta de peito, e se querem saber minha opinião, sou contra chupeta. Um dia desses digo os meus motivos num post).

Pra tudo isso tem solução! Tardar em saber driblar essas 3 questões me levaram a ter uma severa mastite bi-lateral (inflamação das duas mamas) em decorrência do leite ter ficado retido no peito provocando o ingurgitamento, que é conhecido como leite empedrar.

Vou continuar falando sobre assunto e respondendo como solucionar os percalços da amamentação nos próximos posts. 

domingo, 14 de abril de 2013

O que você come? Refletindo sobre os transgênicos


Transgênico, o que você está comendo? Você se é atento já reparou em alguns produtos um triângulo amarelo com a letra T preta? Se não é dos mais atentos nem deve ter reparado de tão pequenino é esse lembrete. E tanto na primeira como na segunda opção, você sabe o que muda? A maior parte das pessoas dirá que significa que aquele alimento é transgênico. ou seja, modificado geneticamente. Mas o que isso realmente quer dizer?


De acordo com o decreto de rotulagem, todos os produtos fabricados com mais de 1% de organismos geneticamente modificados devem trazer essa informação no rótulo. Isso vale mesmo para produtos como o óleo, a maionese e a margarina, em que não é possível detectar o DNA transgênico.


Primeiro abduziram o óleo de soja, a maior parte pra não dizer 95% das marcas de óleo de soja disponíveis nas gôndolas dos mercados são com grão transgênicos. Isso não é um post patrocinado que fique claro, pois creio q cabe divulgar que as únicas marcas livres de transgênicos são a Leve e Sinhá. Agora é a vez da farinha de milho, conhecida como fubá, e infelizmente não conheço nenhuma marca q não seja transgênica, por favor se você está lendo isso e sabe de alguma indique nos comentários por favor, pois sem a farinha de milho, foi se embora do meu cardápio a polenta/angu, broas e bolos feitos com essa farinha e se essa farinha é feita de milho a pobre pipoquinha do cinema entrou na lista negra. E porque eu corto os elementos com esse simbolozinho tão discreto? Qual o problema em consumir alguma coisa transgênica? Baseado na nossa falta de questionamento e na relação de preço e de hábito. Afinal tem gente que sempre comprou óleo Sadia ou Liza e não muda, só que eles mudaram e a gente não percebeu e se percebeu não foi atrás de informação sobre a modificação genética dos alimentos. 

Pois bem, existe uma grande empresa por trás disso e dinheiro rolando solto, é a Monsanto que faz a patente dos grãos que modifica e é a maior inimiga de quem como eu não gosta dos transgênicos. Na europa é terminantemente proibido! Não existia sequer um estudo no mundo sobre uma neutralidade ou não prejuízo da saúde relacionado aos modificados, mas franceses fizeram um estudo muito consistente e sigiloso que foi publicado recentemente mostrando como a alimentação está ligada a tumores e inúmeros problemas Ambientalmente eles causam contaminação genética irreversível, o que pode ocasionar a extinção de espécies endêmicas ou silvestres., para ler mais sobre a pesquisa veja aqui. 
Além de problemas à saúde ambientalmente eles causam contaminação genética irreversível, o que pode ocasionar a extinção de espécies endêmicas ou silvestres.
E pra piorar a maior parte de alimentos para o consumo infantil possuem esse maldito Tzinho.

Recomendo se quiser saber mais entrar nos links abaixo e principalmente proponho a campanha de boicote aos produtos que contenham /T\, além de uma pressão nas empresas entrando em contato com o SAC e pedindo um produto livre de transgênicos. Afinal, podemos escolher o que queremos comprar e no caso do fubá a escolha é comprar ou não, no caso do óleo ainda temos opção e no fubá? 
Precisamos ter consciência para o consumo e saber que nós é que mandamos e decidimos e  não somos obrigados a comprar o lixo que eles querem nos empurrar.


sexta-feira, 12 de abril de 2013

primeiro era proibido, depois passou a ser tolerado, hoje é aceito e eu quero ir embora antes que se torne obrigatório


Depois de 1 mês sem postar, mas obviamente mesmo no corre corre tava pensando em muitas coisas pra compartilhar, retorno num post que é um desabafo.

Na minha time line do facebook diariamente desfilam memes, fotos, cartazes e links de blogs, revistas e afins sobre muitos assuntos, mas nunca uma coisa foi tão postada quanto os regressos que estamos tendo por conta de fundamentalismo religioso. 
Gente, 2013 e eu aqui no Brasil um país de todos, belezas naturais, sem guerra, furacão, vulcão e terremoto e muito longe dos talibãs e fundamentalistas orientais.

Aham, Cláudia, senta lá. Podemos até não ter catastrofes naturais, mas tirando a corrupção que parece ser inerente a invenção do país, estamos longe só dos fundamentalistas religiosos orientais, pois o fundamentalismo chegou ao Brasil com muita força. Muita mesmo e isso me assusta e me dá medo. Pois um país que não sabe votar, é analfabeto funcional e cheio de problemas é facilmente convencido pela lábia de uns Malas-faias e In-Felicianos. Gente escrota que como muitos outros pastores se aproveitam da ingenuidade e dos problemas das pessoas pra viver sustentado por um comércio da fé alheia. Eles só podem ser ateus, porque se Deus existe mesmo e aquelas coisa de inferno e céu, quando eles forem dessa, vão pra uma muito pior.
Só pra constar fundamentalismo é:  Doutrina que defende a fidelidade absoluta à interpretação literal dos textos religiosos. Atitude de intransigência ou rigidez na obediência a determinados princípios ou regras. (priberam) 
Antes que me acusem de intoleante aviso que existe evangélico não fundamentalista. ^


Não quero me colocar no lugar deles e sair julgando, até porque eu sei que assim como gentileza gera gentileza, preconceito gera preconceito, e como eles ( os evangélicos tem pré-conceitos comigo) nunca escondi ter preconceito deles, e ainda não entendo como há vida inteligente em rebanhos de certos pastores, mas existe dignidade entre a classe, há pessoas que pelo menos são sensatas e pensam, questionam sem tornarem-se marionetes. Há também pastores com escrúpulo, raro, mas tem. 
Mas nem quero entrar nesse campo, porque eu quero justamente falar sobre TOLERÂNCIA. 

Eu posso não gostar, não acreditar, mas eu respeito o direito que as pessoas tem de enfiar 10% ou mais de seus ordenados no bolso de certos trambiqueiros pastores, o dinheiro não sendo meu tudo bem, cada um faz o que bem entende com o que lhe pertence e isso vale pra outros pontos além do dinheiro. Vide o caso do casamento entre pessoas do mesmo sexo, concorde ou não com a prática homossexual se vc enfia seu dinheiro onde quer outros podem enfiar o que quiserem aonde quiserem, desde que tenha o consentimento da outra pessoa, porque se não vira estupro e isso aí já é assunto pra outro post.
A ala homofóbica usa argumentos tão ridículos que eu fico com pena, inventaram até a heterofobia, como se os direitos que todos temos fossem se perder a partir do momento que outros o ganharem. 

Parafraseando uma frase ridícula que vem sendo compartilhada sobre o assunto: ser evangélico de primeiro era proibido, depois passou a ser tolerado, hoje é aceito e eu quero ir embora antes que se torne obrigatório e façam fogueira de gente em praça pública remontando a idade média. Se eles seguem a biblia certinho quando chegarem em Levíticos vai ficar muito feia a coisa. E tem mais, esses espertalhões lobotomizam as pessoas, que viram papagaios ao melhor estilo rec repet (um brinquedo da minha infância), eles cospem versículos a torto e a direita sem o menor contexto e numa convicção que dá pena. 
Mas bom, como eu disse cada um segue o que quer, o grande problema é quererem que a bíblia sobrepuje a CONSTITUIÇÃO. A bancada evangélica parece ignorar o fato de que somos regidos por uma constituição, ainda que novinha como eu ela existe e deve ser respeitada, somos um estado LAICO, e isso não quer dizer que algo sem deus é do demônio, mas é um estado que não pode privilegiar ninguém e nem nenhum grupo em detrimento de seu posicionamento religioso. Na verdade não deveria existir bancada evangélica, deveriam existir deputados a favor do povo, do humano. O que as pessoas fazem em suas casas e com seus corpos não é da conta de ninguém. 

Também é foda ouvir ou ler "eu não sou homofóbic@, cada um faz o que quer, mas beijar em praça pública é um absurdo" esse povo aceita tacitamente putarias em BBB's, mas é contra o amor verdadeiro entre duas pessoas que não estão pedindo nenhum favor, apenas o direito de serem tratadas como iguais. Afinal qndo morrermos seremos todos caveiras o que nos faz melhores ou piores? Chega de racismo, machismo, fanatismo religioso! TOLERÂNCIA JÁ!
Não quero abrir o facebook e ver relato de violência contra seres humanos (feita por humanos) por suas opções de sexualidade, ninguém tem o direito de espancar ninguém por nenhum motivo muito menos por esse.
Retrocesso e desigualdade a gente vê por aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...