Pular para o conteúdo principal

Aniversário de 1 ano diferente

Voltando ao assunto alegre do mês, que foi o niver do filhote, vou postar aqui algumas coisas referentes à comemoração, me recuso a dalar sobre Feliciano e as loucuras desse país, vou falar de coisa alegre.
Sou meio avessas as regras e as normalidades, o que as vezes não preenche as expectativas alheias, mas também não me preocupo com o que vao pensar falar etc e tal. Portanto, acredito que o primeiro aniversário nada mais é do que a comemoraçao dos pais pelo nascimento do filho, e no nosso caso meu filho e nós (papais babões) merecemos até mais que um dia de comemoraçao, pois o esperamos ansiosos por três dias como eu relatei aqui.


Na verdade os meus planos iniciais não foram completamente concretizados por interferencias da natureza porque choveu um pouco, da vô e tia. Mas em se tratando de um churrasco foi dificil ser sustentável, na medida do possivel separamos latinhas de cerveja e pets para o descarte e fizemos o docinho com copinho comestivel que sera a receita do proximo post junto com e receita do bolo que fez sucesso.
Usamos um ecocopo descartável feito com resina natural e que impacta menos a natureza que os copos de polistireno, queria na verdade ter feito uma caneca pra cada um, serviria de lembrança e pouparia a natureza dos copos, mas não deu tempo. Sofri uma leve pressão a partir do sexto mês de vida do pequeno pra organizar a festa, mas só organizei mesmo com 1 mês de antecedência. Usei o churrascolator pra calcular as quantidades de carnes e optamos pelo convite virtual, imprimindo somente pra quem nao usa email (o que é raro) as tias avós de mais de 70. Era um plano inicial não usarmos bola, que depois estoura e fica o latex aí pelo planeta. Mas a vovó deu 2 bolas pra cada convidado encher jogando boas energias pro aniversariante o que resultou em 2 cachos de bola (totalizando menos que um pacote de 50 balões).

A decoraçao foi um varal de lã azul com mini pregadores comprados na caçula, afinal para adornar nada melhor que utilizar as fotos dos ultimos 12 meses (nao foi a primeira vez que usei fotos na decoraçao a primeira vez foi nos 30 do maridão).


Na verdade o "tema" da comemoraçao foi o proprio motivo de estarmos ali, que era o percurso do filhote, essa tematica serviu pro convite, decoraçao, bolo e lembrancinha (que nao foi concluida a tempo devido problemas técnicos, mas consistia num dvd com as imagens editadas de todos os meses do Nonô. Coisa que faziamos mês a mês ate o sexto). Acho que apesar de simples é uma comemoraçao autêntica, não chamo de festa, pois estávamos comemorando na acepção deste termo que é memorar/lembrar junto. Foi ótimo estar com pessoas queridas em um clima descontraído sem protocolos de festas. A única ressalva foi São Pedro que mandou uma chuva logo quando todos chegaram, mas foi um dia muito feliz pra nós. Assim como há um ano.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Das perguntas: Papel higiênico, no vaso ou no lixo?

Eu vivo me fazendo perguntas e nem sempre tenho as respostas, essa pode parecer inusitada, mas sim, já pensei nisso e me surpreendi com o que descobri. Aqui no Brasil todo banheiro que se preze tem lixeira e muitos banheiros públicos tem a seguinte placa:
Em portugal encontrei a versão lusitana da coisa e acho que herdamos esse hábito deles, acho, porque não tenho a menor certeza.
Quando morei fora percebi a inexistência da nossa companheira lixeira, e vi que o papel era descartado no vaso sem o menor problema. Tenho por hábito seguir os hábitos e assim fazia, até porque fora da minha casa não havia essa opção, mas quando voltei continuei usando a lixeira nossa de casa dia. Tudo muito bom e muito bem até eu me casar com um "gringo" e ele me perguntou porque não colocávamos os papéis no vaso, de pronto mais que automatico e mecanicamente respondi: "Oras, porque entope!" Pouco depois pensei, mas na França não entopia... Será mesmo que entope? Ou fomos ensinados a usar is…

Cardápio semanal, uma mão na roda no dia a dia

Estou sempre querendo escrever, mas tempo é coisa escassa, entre filho, trabalho e trabalho de casa, fica difícil. Mas depois que me mudei pra uma casa menor, com uma geladeira menor, resolvi fazer algo que sempre quis e que achava que me daria tempo que é o cardápio semanal. Quem nunca ficou olhando os armários e a geladeira com aquela interrogação na cabeça do que fazer pra comer. Quem nunca fica sem ideia do que cozinhar? Quem nunca sente aquela preguiça na hora que vem a pergunta: o que vamos comer? Sem contar quando você pensa em fazer um prato mas só tem alguns dos ingredientes... O cardápio semanal pra começar foi difícil, mas consegui!  O que eu fiz?  Primeiro abri um arquivo, porque nao sei mais escrever no papel, mas pode ser num papel e comecei um brainstorming ia escrevendo todos os pratos que gostamos, os que cozinhamos com certa frequência, aquele que a gente sempre esquece mas que quando faz é um sucesso, os pratos do dia a dia, os pratos que são únicos e dispensam acompa…